Mosaico de fotos de redes sociais

Não sou quem você vê nas redes sociais

Ou melhor, não sou apenas o que você vê nas redes sociais. Nem eu, nem você, nem ninguém podemos nos reduzir ao conteúdo que postamos (e ao que deixamos de postar).

Ainda assim, é irresistível para nossos cérebros humanos e limitados ficarem com a impressão de que o está lá é tudo o que há — um efeito chamado wysiati, que vem das iniciais de “what you see is all there is”.

É a ideia de tomar a parte pelo todo. Lembra das figuras de linguagem nas aulas de português? O efeito wysiati é tipo a metonímia. E isso não é necessariamente algo ruim. Ajuda a gente a economizar energia e agir.

Como o Kahneman traz em um dos capítulos do livro “Rápido e Devagar: Duas Formas de Pensar”, somos máquinas feitas para pular direto para as conclusões. “O wysiati explica porque conseguimos pensar rápido, e como somos capazes de processar informações parciais em um mundo complexo. Na maior parte do tempo, a história coerente que construímos é próxima o bastante da realidade para que possibilite tomar uma ação razoável.”

Uma escala pessoal não representativa

Na última semana, uma das coisas que mais me deixou alegre foi meus pais terem tomado a vacina da covid-19. Por outro lado, muitas coisas me deixam bem tristes — como a situação do nosso país chegando aos 500 mil mortos na pandemia. Um país liderado por uma pessoa totalmente despreparada, que não me representa e que me envergonha em muitos sentidos.

Leia mais »